Neuromarketing e Persuasão

Você já entrou no supermercado focado em um produto mas acabou comprando mais do que deveria? Então você foi mais uma “vítima” do Neuromarketing!

O neuromarketing é uma ciência que estuda as reações do cérebro diante de determinados estímulos. Normalmente, profissionais do marketing empregam diversas técnicas persuasivas capazes de fazer com que o consumidor gaste muito mais do que havia previsto incialmente.

O termo, apesar de não ser muito conhecido pelos brasileiros, está mais presente no seu cotidiano do que você imagina. Neste artigo, você entenderá um pouco mais sobre a mente consumista e saberá quais são os artifícios responsáveis por guia-las, ou seja, a relação entre neuromarketing e persuasão.

O que é Neuromarketing?

Basicamente, o neuromarketing é uma ciência que visa desvendar os mistérios da mente dos consumidores. Para isso, os estudiosos usam ferramentas que vão muito além de simples pesquisas de mercado.

Nessa área, o que realmente importa são as sensações e sentimentos que uma marca ou produto consegue despertar nos clientes. Por meio do neuromarketing, descobriu-se diversas técnicas de persuasão realmente poderosas. Confira algumas delas adiante.

O que é persuasão e como ela se relaciona com o neuromarketing?

Neuromarketing e Persuasão

A persuasão não é simplesmente o ato de convencer alguém a realizar alguma ação. Mais do que isso, o ato de persuadir tem princípios científicos. Na psicologia, a persuasão é fundamentada em seis pilares que também são aplicados livremente no processo de vendas, chamados de gatilhos mentais.

  1. Reciprocidade: ficamos mais propensos a dizer sim a alguém quando estamos lhe devendo algo. Um exemplo é a sensação que você sente quando um vendedor te dá um brinde e te deixa com aquele sentimento de que você deverá dar mais credibilidade para a loja em que ele trabalha.
  2. Escassez: quanto mais raro for determinado produto, maior o interesse das pessoas. O sentimento de exclusividade e raridade aflora uma sensação de urgência na cabeça das pessoas.
  3. Autoridade: todos nós tendemos a confiar na palavra de pessoas que nos passam credibilidade, ou seja, que se mostrem como especialistas em algum assunto. Entretanto, isso precisa ser validado de alguma maneira antes que alguém tente te convencer.
  4. Comprometimento: uma vez que você assume certo compromisso, existe uma pressão inconsciente para que você se comporte de forma coerente com aquilo com o que se comprometeu.
  5. Consenso: basicamente, esse pilar diz que somos motivados a agir de acordo com o coletivo. Isso significa que o que a maioria faz, de certa forma, nos influencia.
  6. Afinidade: gostamos de pessoas que se parecem conosco, que nos elogiam e colaboram com a gente de alguma maneira.

Como persuadir a confiança entre empresa e cliente?

A empatia, aliada à todas as características do tópico anterior, deve ser a base para todas as estratégias de marketing de uma empresa. Se você analisar todo o processo de vendas convencional, verá que o neuromarketing e os pilares da persuasão estão presentes nesses procedimentos do início ao fim.

Para se comportar de maneira mais assertiva, seja como consumidor ou empreendedor, reflita sobre o assunto antes de tomar qualquer decisão nos negócios.

 

Curso de Copywriting

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *