Como Contar Histórias Que Vendem

O conceito de história nos acompanha desde os tempos mais remotos. Desde sempre tentamos e buscamos formas de registrar fatos e acontecimentos. A linguagem mal havia se desenvolvido quando as primeiras histórias já haviam sido contadas.

Por isso, o termo storytelling é considerado algo muito além daqui. Não é algo recente. Pelo contrário, é algo muito mais antigo que diversos outros conceitos.

Qualquer ser humano é uma coletânea de histórias. Histórias essas que podem valer a pena ser contadas.

Pessoas que compartilham ou gostam de histórias semelhantes acabam por ter valores, ideias e pensamentos parecidos. Essa é a ideia por traz de storytelling, compartilhar histórias para se conectar com seu público.

Por que usar o storytelling?

Todos nós queremos algo novo. Sempre buscamos algum produto, serviço ou informação nova. Porém, as formas mais comuns de venda e marketing já estão muito passadas, ao ponto que a inovação assusta, surpreende, e fica na memória.

Por isso se utiliza hoje em dia o storytelling. É uma forma milenar de se vender algo, porém que nunca fica no passado. Isso é porquê sua fórmula é infalível para quem a utiliza. Sempre haverá novas histórias para se contar, e algo sempre pode mudar.

A utilização de storytelling é uma forma muito eficaz de se vender um mesmo produto ou serviço para diversos clientes com diversos interesses diferentes.

A criação de histórias para se aplicar o storytelling

Diversas histórias têm modelos em comuns que podemos ver até certos padrões nos dias de hoje. Quem nunca viu afinal, as inúmeras princesas salvas por um herói galante.

Mesmo com as diversas variações atuais, as histórias acabam por sempre seguir uma espécie de padrão, variante com seu gênero. Busque saber esses padrões, eles serão úteis quando precisar criar sua própria história.

Como Contar Histórias Que Vendem

Personagens relacionáveis

Em muitas histórias os personagens são criados para serem usados como exemplos para as pessoas seguirem. Seja exemplo de romance, caráter, visual ou emocional, ocorre com frequência crianças quererem ser um personagem qualquer que tenham visto.

Porém, isso funciona diferente para adultos. No geral, adultos gostam de personagem com valores e princípios relacionáveis. Raramente gostam de algum personagem perfeito, mas sim costumam gostar de alguém que mais tente do que realmente consiga.

Já foi visto em diversas situações que adultos valorizam mais personagens cheios de defeitos que cheios de qualidades. A perfeição chega a ser irritante, enquanto as falhas são extremamente relacionáveis.

As qualidades de um storyteller

Repetição não é uma opção aqui. Seja autêntico, sagaz e criativo ao se contar uma história. Identifique seu público e adapte seu conto a eles. Se gostam de senso de humor, faça algumas piadas. Se preferem uma história mais séria, apele para o suspense.

A forma que você está contando a história também é importante. Imagens podem ser utilizadas para cativar mais seus clientes, ou melhorar a visualização de certas cenas.

Lembre-se que o importante é que a história a ser contada deve ser facilmente relacionável a seu conteúdo ou serviço. Não adianta simplesmente contar a história e não conseguir a relacionar com nada.

Curso de Copywriting Gratuito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *